Bíblia Online

Gadget feito do site Bíblia Online

A PRIMEIRA MULHER CHEIA DE GRAÇA!!!


COMEÇA AGORA OS TESTEMUNHOS DE ALGUMAS MULHERES CHEIAS
DE GRAÇA,QUE DE ALGUMA OU MUITA FORMA DEIXARÃO SUAS MARCAS ATRAVÉS DE SUA VIDA
E DE SEUS TESTEMUNHOS,MULHERES QUE NÃO SÃO PERFEITAS,MAS SÃO CHEIAS DE GRAÇA!!
DEIXO AQUI ESTE ESPAÇO,ACIMA DE TODOS E TUDO DEIXO TODA HONRA E TODA GLÓRIA AO NOSSO SALVADOR,REDENTOR,AUTOR E CONSUMADOR ,NOSSO ELOIM,ADONAI,ABBA PAI,QUE SOMENTE TEU SANTO NOME SEJA GLORIFICADO,E AS MULHERES CHEIAS DE GRAÇA,DEIXO MEU AMOR ADMIRAÇÃO,CARINHO E RESPEITO,E DIGO QUE PARA MIM É UM GRANDE PRAZER TÊ-LAS COMO AMIGAS!!!QUE DEUS ABENÇOE VOCÊS!!!
-A PRIMEIRA MULHER CHEIA DE GRAÇA É A EMMANUELLA CALAZANS,ELA ME MANDOU O TESTEMUNHO POR E-MAIL,NÃO ALTEREI NADA,NEM MESMO UM TIL,TUDO MUITO LINDO E MUITO IMPACTANTE,ESPERO QUE SEJA DE EDIFICAÇÃO PARA VOCÊ TAMBÉM...


Graça e paz!

Meu nome é Emmanuella Marlene Calazans Lino Clarindo Nascimento da Silva, (bom foi-se a época em que eu tinha vergonha de meu nome, rsrsrsr), tenho 29 anos. Sou casada a dois anos e 7 meses, e tenho um filho de 8 anos.
Minha história daria um livro, como disse minha médica certa vez!
Não sei ao certo o que testemunhar, então deixarei que o Espírito Santo me guie nesse momento.


Tive uma infância muito boa, estudei em um ótimo colégio particular aqui em minha cidade. Se eu era rica? De forma alguma, tinha uma bolsa de 60%, além de uma bolsa que a prefeitura dava no início do ano. Mesmo assim, mamãe precisava ainda de trabalhar em dois empregos para terminar de pagar a escola, e para me manter,. Uniforme, material de primeira linha, minha mãe nunca deixou que eu usa-se um livro usado. Merenda? Nunca levei de casa, comprava na cantina (e isso ficava uma fortuna), não tinha limites. Eu era uma criança muito boa, boa até demais.

O problema todo estava aí, por ser pobre sofri muito com a discriminação, não só por isso, mas porque também era negra.
Era gorda. Além de mim, só haviam mais dois ou três negros na escola, filhos de funcionários. Não foram poucas as vezes em que fui chamada de filha da faxineira.
Sofri muito, não só por isso; mamãe é branca, muito branca, e mãe solteira. Hoje isso é normal, mas a 25 anos atrás ainda não era.
Era muito gorda.
Meu pai coitado, veio ao mundo para gerar filhos, não para cuidar deles, teve um casamento e mais 3 mulheres oficiais, com quem ao todo teve 9 filhos. (Conta a lenda de que temos mais um irmão perdido na roça, que ninguém sabe se é homem ou mulher ou se ao menos existe).

Minha mãe era uma dessas mulheres; apesar de saber que ele era casado, sabemos muito bem como os homens nos enganam não é mesmo? Com aquela historinha de que: _Meu casamento não vai bem, de que já estamos separados de corpos. Enfim, ela se apaixonou e fez questão de ter uma filha dele, mesmo sabendo que corria o risco de não se casar. Mas essa história é dela e não minha, então vamos em frente.

Fui criada por minha mãe, na verdade quem me criou foi vovó Marlene. Mamãe trabalhava o dia inteiro, e a noite também. Cresci sem conhecer meu pai, sabia que ele existia, mas não tive contato nenhum com a família do meu pai, eu o conheci quando tinha 13 anos, foi um encontro muito rápido. Já meus outros parentes, fui conhece-los depois dos 19 anos, quando minha avó faleceu.

A escola que eu estudei, chamava-se Instituto Granbery da Igreja Metodista, e foi lá que tive o meu primeiro contato com o Senhor.
Aos 14 anos, uma amiguinha da escola chamada Juliana, me perguntou se eu queria conhecer Jesus, disse que sim, e então ela passou a ir em minha casa semanalmente me ensinar os princípios básicos de Jesus. A igreja era a 1ª Presbiteriana de Juiz de Fora, e ficava em um bairro afastado do meu, minha mãe me levou algumas domingos, cheguei até a comemorar meus 15 anos lá. Mas na época eu não podia sair de casa sozinha, e minha mãe muito cansada parou de me levar.

Arrumei o primeiro namorado e o reino de satanás começou em minha vida, muito carente, depressiva, vivia chorando. Ele dizia que me amava, mas que eu era gorda e que se terminasse com ele nunca mais ia arrumar ninguém. Recebi essa palavra no mais profundo da minha alma. (e olha que eu nem era tão gorda assim, já havia feito dieta, e pesava uns 60, 62 quilos).
Comecei uma série de transtornos afetivos, namoramos dois anos, e quando terminamos, quis me suicidar. Alias eu sempre quis morrer. Desde pequena, quando ficava triste, ou algo dava errado, eu chorava e pedia a Deus pra me matar.
Comecei a ter vários namorados, mas nenhum dava certo.
Frequentei Universal. Quadrangular, mas nunca me firmei.
Queria sair, beber, ir ao pagode, baile funk, eu não podia enganar a Deus. "Venha como está e o mais eu farei!" Era o que eu vivia ouvindo, mas eu não queria mudar, e não podia envergonhar a Deus com minhas roupas indecentes, meu jeito escandaloso e vulgar.

Eu era uma boa menina, mas me apaixonava fácil e sofria muito por isso. Era pacional. Tudo dava errado.

Minha avó morreu quando eu tinha 19 anos, aí pirei de vez. Eu frequentava a Universal nessa época, e busquei muito por ela. Mas Deus não me ouviu, e levou ela embora, ela não tinha nada, foi só um tombo, machucou a cabeça, e depois de uma semana foi internada pra tirar um furunculo da cabeça. Ficou internada uma semana e morreu. Ela tinha 57 anos. Nossa.......... ela era tudo pra mim.

Minha mãe já não me dominava, saia todo dia, mesmo sem dinheiro, ia a pé se precisasse.
Bebia muito, muito mesmo. Mas não me considerava alcoólatra. Levando essa vida, em um ano, engravidei.
Foi barra demais. Eu não queria, não gostava do pai da criança. Enfim foi um inferno. Não gosto de fala sobre isso, não por mim, mas pelo meu filho, porque sei que um dia ele vai saber, e quero eu mesma contar pra ele, vocês me entendem não é?

Bom passei maus bocados durante a gravidez. Disse que não ia mais acreditar em Deus. e não conversava mais com Ele.
E ele me amou tanto que minha benção nasceu, perfeito, lindo, forte. Tudo de bom. Nem dor, o Senhor deixou eu sentir, só no início, depois fui levada milagrosamente pra sala de parto e me fizeram uma cesária.

Mas os meses foram passando e a necessidade de ter alguém ao meu lado falou mais forte. Comecei a sair de novo, no inicio só de vez em quando, mas a medida que o Victor cresceu e não dependia tanto de mim; fui me atolando cada vez mais.
Tive vários Namorados, eram namorados mesmo, eu quase não "ficava", só que eu namorava, eles não. Alguns me enganavam no início, outros nem tanto, mas a necessidade de ser amada era muito maior do que qualquer frustração. Fui usada, humilhada, desprezada, enganada. Enfim, satanás me usou de capacho. Amigas, tive muitas experiencias desastrosas. Tenho conciência da mulher que sou, dedicada, carinhosa, trabalhadora. Dava o meu sangue em minhas relações, mas isso de nada adiantou. Até em centro de macumba fui parar, e quando fiz isso, mesmo sabendo que era errado, mesmo não confessando satanás como meu deus, mesmo não abaixando a cabeça pro capeta, eu trouxe muitas maldições para minha vida. E como Deus era comigo, não recebi nada do que pedi. fiquei com raiva, e depois de um ano tentando cai fora. Fui ameaçada de morte pelo filho da dona do centro, eu não podia sair de casa, minha mãe me leva-va ao serviço, e me buscava no meio do caminho. Mais uma vez, eu tinha feito a minha cama, no seol.

Eu sempre dizia ao Senhor: _O dia que o Senhor me der um marido crente, eu volto pra igreja.
E como toda palavra falada é uma semente lançada no mundo espiritual, chegou o dia em que Deus me enviou um varão. É verdade que ele estava meio afastadinho da igreja, mas era um legitimo crente de berço. Foi tudo muito rápido, na época eu tinha um namorado, o qual não tive nenhum problema em abandonar, já que ele quase não se encontrava comigo. Nos encontramos na 5ª, namoramos por telefone 6ª, sábado, domingo. Na segunda era dia dos namorados, e nós passamos o dia todo juntos. (Naquela época, não tinha problema o fato do Tiago ter trabalhado a noite inteira, ele se esforçava de bom agrado para estar comigo, para me conquistar). Andavámos de mãos dadas, agaradinhos, Combinamos de nos encontrar novamente na 5ª, mas na 3ª ele me ligou a noite e disse que iria me apresentar a mãe dele na 4ª mesmo, tremi nas bases.

Vou parar aqui só pra dar uma explicação. Lembra ali em cima na parte do meu pai ter tido umas 3 mulheres extra-oficiais? Pois é, uma delas foi a minha sogra, que na época não era crente. Ele teve 3 filhos com ela. Depois eles se separaram, minha sogra casou novamente, se converteu e teve mais 3 filhos. O mais velho é o meu marido. daí, o motivo de eu ter tremido tanto de medo em conhece-la e de ter enfrentado uma barra pra ela me aceitar. Em tempo, hoje ela é uma mãe pra mim. Milagre de Deus em minha vida.

Continuando, na 4ª fui conhecer minha sogra, que não me tratou mal, ela não me tratou, me ignorou. "Mãe, essa aqui é minha namorada!" 'Não é nada, você só pode namorar com crente!" UUIIIIIIIIIII, doeu em mim, na hora também.
Ficamos sentados no sofá, vendo um filme evangélico, que não me lembro qual, com o meu cunhadinho sentado ao lado figiando. rsrs. Foi quando o Tiago falou em casamento, que eu seria a esposa dele, e que ele seria pai do meu filho. Não precisa dizer mais nada né? Achei que ele era louco, mas a felicidade era tanta que recebi aquilo em meu coração, e no dia seguinte apresentei ele a minha mãe e ao meu filho, como meu namorado. Nota, ele foi o único homem que eu apresentei ao meu filho, como meu namorado.
É verdade que pecamos antes do casamento, mas na minha cabeça não era pecado, era amor, e nós iamos casar. Tentei arrumar uma igreja para nós, mas eu não conseguia acompanhar o ritmo da igreja que ele estava acostumado. Por ele casariamos em dois meses, mas achei melhor esperar mais um pouco. Ficamos noivos em 4 meses e nos casamos com 6 meses.

E a paciência acabou, o fogo se esfriou, o carinho diminuiu. Saimos da casa da minha mãe; deixei meu filho com ela, (porque era o melhor a ser feito, pra onde eu ia era muito pequeno, muito longe, eu trabalhava, não ia ter quem ficasse com ele, tinha a escola, etc)
Mudamos e com uma semana na casa nova eu caí de cama. Fiz trocentos exames e nada foi achado. Eu definhei na cama em uma semana, e quando ia fazer 15 dias, pedi ao meu marido que pedisse a mãe dele para trazer um Pastor aqui em casa para orar por mim, porque eu estava endemoniada. Foi essa a conclusão que eu cheguei, vomitava até ar, remédio nenhum parava as minhas dores, os exames não davam nada, não comia, não dormia pois não tinha posição, tinha dificuldade para falar e respirar, a pressão subia muito, pensei que ia morrer.
Qual não foi minha surpresa, quando ao invés do Pastor é minha sogra quem vem orar por mim?!? Ela é missionária. Foi uma oração simples, onde ela não só pediu a minha cura e libertação, mas também anulou toda palavra contrária ao meu casamento, e me abençoou como esposa do filho dela. Naquele momento mais um laço de satanás estava sendo quebrado.
Deitei e dormir, e quando acordei eu não tinha mais nada.

Resolvi agradecer o que Deus tinha feito em minha vida, e comecei a frequentar a igreja da minha sogra, busquei muito pelo meu marido que nessa altura do campeonato estava desviado, ele voltou se concertou com Deus, e eu achei que já estava bom, fui acompanhado ele, e aos poucos paramos de ir na igreja.
E como diz a palavra, você vai a Deus por amor ou pela dor, comecei a ter problemas no casamento e então voltei pra igreja, só que fiz isso várias vezes. Quando estava bem com meu marido eu não ia, quando brigávamos eu corria pra Jesus.

Resolvi então procurar uma igreja que fosse mais a minha cara, e me lembrei de uma que eu havia visitado uns 4 anos atrás. Ministério Colheita Internacional.
Fui para ela em outubro de 2007, passei pelo encontro com Deus em dezembro, (véspera de natal), me batizei dia 5 de fevereiro de 2008, no carnaval, em outro encontro, só que agora o de princípios. Comecei a fazer escola de líderes mas parei, porque era aos domingos. E desde lá venho colocando empecilho em minha jornada com Deus. Como disse em meu blog, eu sou a minha pior inimiga.

Só que cansei disso. Tenho um chamado, e fui escolhida. Tomei posse da unção que foi derramada sobre minha vida. Voltei para a escola de líderes, passei pelo Reencontro com Deus, e estou me firmando n'Ele. Vou abrir minha célula, esse mês, e sei que serei mãe de multidões. O Senhor está me capacitando.

Como vocês leram, minha história não é nada feliz, tive poucos momentos felizes em minha vida, mas desde sempre o Senhor havia me escolhido. Sofri sim, mas hoje entendo que tudo o que passei, foi fruto do pecado, da minha desobediência a Deus. Tentei ser a crente "3s": Salva, Sentada e Satisfeita. Mas não foi para isso que o Senhor me chamou.
Tenho sim passado por muitas lutas em meu casamento, sinto muita falta daquele primeiro amor que meu marido sentia por mim, do carinho e atenção que ele me dava. Hoje isso não existe mais, mas sei que o Senhor irá restituir 7 vezes mais. E sei também que foi graças a essas tribulações, que eu me aproximei mais de Deus. Foi atraves da dor que eu entendi e aceitei o meu chamado. Resolvi lutar as guerras de Deus, e sei que Ele está lutando as minhas guerras.
Meu marido ainda não se converteu, mas ele vai em nome de Jesus. Porque eu e minha casa serviremos a Deus.

E a palavra é essa: Servir a Deus.

Sei que sou Sua filha amada. Sei que sou filha do Rei. Sei que Ele é meu melhor amigo, mas estou aqui para servi-lo, e para fazer o que lhe agrada.
E o que agrada a Deus? Ganhar almas. Gerar filhos espirituais, Discípular. Tomar conta de vidas.

Muito mais tenho para contar sobre o meu passado. Tirando minha infância, que durou até os 14 anos. Foram mais 14 anos jogados fora. Não usei drogas, nem vendi meu corpo. Não roubei, nem matei.
Mas era sim uma prostituta, drogada, ladra e assassina. quantas vezes matei minha mãe com minhas palavras, com minhas atitudes.
Era viciada em álcool, em comida, em homem. Odiava mentira, mas vivia mentindo. Roubava todas as vezes que comprava e não pagava. Era criptomaniaca, furtava pequenos objetos sem necessidade, e achava que era normal. "AHHHHHHH a loja tem muito dinheiro, não vai fazer falta", era o que eu pensava. Palavrão era doce em minha boca. Pornografia era uma coisa normal


Abandonar esses pecados foi mais fácil do que se pensa, o difícil foi aprender a deixar meu marido em casa para ir aos cultos. Foi deixar ele em casa para participar dos encontros. O difícil é me sentar aqui em frente ao computador e vê que enquanto eu adorava a Deus em um fim de semana ele se divertiu em sites pornôs. Mais difícil ainda é não fazer um escândalo. E muitas outras coisas, que se eu for escrever vira livro de vez.
Dificil é calar a boca, quando estou certa, só pra não continuar uma briga. Difícil é crer em Deus.

Só que aprendi uma coisa. Tudo na minha vida é decisão. E eu decidi servir a Deus. Decidi, acreditar n'Ele. Decidi amá-lo mais do que ao meu marido. Decidi fazer coisas que agradam a Deus. Sabe porque?
Porque ele me ama. Porque Ele deu o seu único filho para morrer em meu lugar, para que eu tivesse vida em abundância. Para perdoar os meu pecados. Para que eu tivesse salvação.

Porque Ele me deu tudo isso de graça, e de graça eu quero dar. Quero levar pessoas a terem a mesma esperança que eu.
Aos olhos humanos, estou longe de ter meus sonhos realizados. Mas no sobrenatural de Deus, tudo já se fez.
E eu creio nisso. E sei que a minha vida nunca mais será a mesma. Chega de ser uma coitadinha. Agora eu faço parte do exército de Deus. E como disse antes: Eu e minha casa serviremos a Deus. Eu serei uma pastora de excelência e meu marido também será um grande sacerdote de Deus.
E quem quiser orar por mim, eu agradeço, orem pela conversão genuína de meu marido. Mas se você precisar de minha oração, pode pedir. Visite meu site: Diário de uma Mulher Cristã - http://emmanuellacalazans.blogspot.com
Ou Pra falar de Jesus - http://prafalardejesus.blogspot.com
Ou ainda me envie um pedido por email: emmanuellacalazans@yahoo.com.br
Que a graça e paz do Senhor seja com todos vocês.
Amém!
Emmanuella Calazans

7 comentários:

Vanessa disse...

Nossa... que testemunho.
Confesso que fiquei sem palavras.
Que Deus abençoe a Emanoele e sua família e abençoe a você também Leticia, por ter aberto esse espaço no seu blog para abençoar vidas.

Luiz Clédio Monteiro disse...

belo testemunho.

Quando não temos, é porque não pedimos (Tg. 4:2) em nome de Jesus que ordena: "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrais; batei, e abrir-se-vos-á (Mt. 7:7)

amiga irmã. estou seguindo seu blog.
visite o nosso.
fique na paz

Aline disse...

Porque Deus desde sempre havia te escolhido ♥ Ele cumprirará um grande plano, abraço.

Rosa disse...

Gostei muito do testumunho...
Que Deus abençoe a EMANOELE e sua famiilia .
Beijinhos @@

Solange Ribeiro disse...

cada dia que conheço Deus através dos testemunhos, fico mais grata por ele ter me escolhido.
obrigada Deus!!!

Anônimo disse...

Oi leticia!
Preciso falar com vc urgentemente, me envie um email por favor. é urgente,

Vida que segue.com.br disse...

Oi leticia!
Preciso falar com vc urgentemente, me envie um email por favor. é urgente,

VISITANTES DE HOJE

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios